Apresentação


Estamos agora a celebrar os 500 anos da primeira impressão d’O Compromisso da Confraria da Misericórdia, que teve lugar a 20 de dezembro de 1516, prolongando-se estas comemorações até final de 2017.

A importância deste documento reside não só, no facto dele representar os estatutos da Confraria da Misericórdia que assentam fundamentalmente nas 14 Obras de Misericórdia, 7 Corporais e 7 Espirituais, como também na possibilidade da difusão deste texto basilar seguido por todas as Confrarias da Misericórdia, tanto em Portugal continental como além-mar, ou seja, nos territórios onde os portugueses marcaram presença.



O Compromisso

Pedro Santana Lopes

Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

COMEMORA-SE ESTE ANO DE 2016, O QUINTO CENTENÁRIO da primeira edição impressa do Compromisso, adotado por todas as Confrarias de Misericórdias portuguesas.

Recordar o Compromisso da Confraria de Misericórdia, uma obra fundamental para compreender a matriz que tem guiado a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa ao longo dos últimos 518 anos, é reconhecer com serenidade o ADN da nossa Instituição, num tempo em que, cada vez mais, se devem honrar as referências do passado. Neste texto, além dos princípios orientadores da Instituição, estão também explicitadas as 14 Obras de Misericórdia que, apesar dos desafios constantes, tanto nos orgulhamos de cumprir com empenho e dedicação.



No quinto centenário da primeira edição impressa do Compromisso da Misericórdia 1516 – 2016

Artur Anselmo

Presidente da Academia das Ciências


SÃO CONHECIDAS DUAS EDIÇÕES DO COMPROMISSO DA Misericórdia, ambas datadas de 20 de Dezembro de 1516. Investigações de Anne Anninger, prontamente secundadas e ampliadas por Francisco Guimarães Cunha Leão, mostraram, sem margem para dúvidas, que uma dessas edições (a que ostenta na portada uma cercadura com elementos fitomórficos e zoomórficos), repetindo embora o texto da primeira – inclusive no respectivo colofone –, é contrafacção da impressão original. Nesta, a decoração da cercadura do rosto é constituída por elementos malacolóficos (conchas?) em céu estrelado sobre fundo negativo.